fbpx
Search

Dr. Lívio anuncia parceria com Sesau para monitoramento em tempo real dos casos de Covid-19 pela Câmara

Reivindicação anunciada pelo vereador Dr. Lívio (PSDB) na primeira transmissão ao vivo da Comissão Especial em apoio ao Combate a COVID -19, da Câmara Municipal de Campo Grande, da qual o vereador é presidente, foi confirmado nessa quarta-feira (29), em mais uma live, com a presença do Secretário Municipal de Saúde, o monitoramento dos casos de coronavírus, em tempo real, na Capital.

A Câmara terá uma sala de onde serão acompanhadas as atualizações obtidas pela Sesau dos hospitais e unidades de saúde. “É uma preocupação nossa acompanhar de perto as ações e estratégias. Sabemos que temos leitos disponíveis para atender os casos mais críticos, mas queremos ser mais um apoiador nas tomadas de decisões, no momento em que for necessário estabelecer novas medidas”, disse Dr. Lívio que também é presidente da Comissão de Saúde.

Durante a live, o vereador reforçou o esclarecimento do secretário José Mauro Filho sobre o valor das máscaras adquiridas pela prefeitura, publicado no portal da transparência. A publicação gerou uma série de questionamentos, esclarecidos durante a transmissão ao vivo. O custo por unidade, de R$ 89,00, refere-se à caixa com 50 unidades e não ao valor unitário do equipamento de proteção individual (EPI), comprado para ser distribuído aos profissionais da saúde. Cada máscara sai, portanto, a R$ 1,78.

Os valores de EPIs, aliás, foram outro ponto destacado pelo secretário. “O preço está variando muito. O planejamento nos ajuda a direcionar as compras”, explicou José Mauro ao mostrar gráficos que mostram as projeções do avanço da doença em Campo Grande, feitas com apoio de estatísticos da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS). “Se houver um aumento de 25% da taxa de notificação, a estimativa para a quantidade máxima de leitos aumentará para 416, conforme a projeção, tendo como o ponto de inflexão estimado o dia 2 de maio. Se o aumento for de 50%, a estimativa para a quantidade máxima aumentará para 531 e a estimativa para o ponto de inflexão é o dia 16 de maio”, exemplificou o secretário.

A evolução depende do nível de conscientização da população que deve manter as medidas de prevenção. A sala de monitoramento na Câmara vai ajudar, inclusive, a estreitar os laços com os moradores, criando uma rede de informação integrada. “É uma forma de apoiar, formando uma rede de enfrentamento nos bairros. É o que já estão fazendo os moradores da região do Parque Lageado, onde nosso gabinete foi convidado a fazer parte das ações. Montamos um projeto piloto envolvendo a comunidade, e tendo como base 4 eixos: da informação e da capacitação; produção e distribuição de máscaras; assistência social com arrecadação de alimentos e roupas; facilitação da estrutura e assessoria voltada para as pessoas que necessitam do cadastramento do Auxílio Emergencial do Governo Federal”, disse Dr. Lívio ao se referir à ação coletiva que deverá servir de modelo para outros bairros.