fbpx
Search

Em entrevista, Dr. Lívio ressalta cuidados com a visão abordados, inclusive, em lei de autoria do vereador

Em entrevista ao programa Giro de Notícias, o vereador Dr. Lívio (PSDB) falou sobre o uso excessivo de celulares e tablets entre crianças de 2 a 5 anos,  o que tem provocado aumento nos casos de miopia, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). O tema trouxe outro alerta abordado em lei de autoria do vereador: sobre consultas realizadas em estabelecimentos comerciais em troca de descontos na confecção de óculos de grau.

A Lei Complementar nº 359, de 27 de setembro de 2019, proíbe a comercialização inadequada visando o lucro e não a saúde dos olhos da população campo-grandense. Um dos artigos especifica: “É vedada a exposição, sob qualquer forma, de propaganda que induza o cliente à prestação de serviços oftalmológicos, tais como: “Aviamos Exame de Vista”, “Aferir visão” ou similares, visto que é de conhecimento público o papel do estabelecimento ser apenas de comercialização de produtos”.

“É preciso atenção e cuidado com a nossa visão. Não podemos deixar a população ser enganada e induzida ao erro por estabelecimentos comerciais. Ao realizar os testes nas óticas não acontece um exame completo capaz de identificar doenças graves nas vistas levando a diminuir a visão da pessoa e até a cegueira”, alerta Dr. Lívio.

Quanto ao uso excessivo de celulares e tablets pelas crianças, Dr. Lívio respondeu ao jornalista João Flores que o ideal seria que os pequenos nem tivesses acesso a essas telas, visto que elas emitem uma luz azul. Quanto maior a exposição desde cedo, maiores os prejuízos. Ele explicou também que existem indícios desse acúmulo de luz azul na retina ao longo do tempo que podem predispor a outras doenças retinianas até mais sérias. A mais comum é a degeneração macular senil, que atinge a mácula. Uma vez danificada, o centro do campo visual é afetado e as imagens são desfocadas, distorcidas ou escuras.

Se as crianças usam esses tipos de tela para jogos, Dr. Lívio recomenda o uso da televisão. “É menos danoso”, finalizou.

A entrevista na íntegra pode ser assistida no seguinte endereço: https://www.youtube.com/watch?v=4CjzAMJ13mM&feature=youtu.be